Artigos escritos durante o mês de: outubro 2014

CAMINHO, VERDADE E VIDA (pelo Espírito Emmanuel) – Chico Xavier – 147 UM DESAFIO

26 out / 2014
Escrito por Alan Diniz

“E agora por que te deténs?”
(ATOS, 22: 16)
Relatando à multidão sua inesquecível experiência às portas de Damasco, o Apóstolo dos gentios conta que, em face da perplexidade que o defrontara, perguntou­lhe Ananias, em advertência fraterna: “E agora por que te deténs?” A interrogação merece meditada por todos os que já receberam convites, apelos, dádivas ou socorros do plano espiritual.
Inumeráveis beneficiários do Evangelho prendem­se a obstáculos de toda sorte na província nebulosa da queixa. Se felicitados pela luz da fé, lastimam não haver conhecido a verdade na
juventude ou  nos dias de abastança; contudo, na idade madura ou  na dificuldade
material, sustentam as mesmas tendências inferiores Nas palavras, exteriorizam
sempre grande boa­vontade; entretanto, quando chamados ao serviço  ativo, queixam­se imediatamente da falta de dinheiro, de saúde, de tempo, de forças. São operários contraditórios que, ao tempo do equilíbrio orgânico, exigem repouso e, na época de enfermidade corporal, alegam saudades do serviço. É indispensável combater essas expressões destrutivas da personalidade. Em qualquer posição e em qualquer tempo, estamos cercados pelas possibilidades de serviço  com o  Salvador. E, para todos nós, que recebemos as dádivas divinas, de mil modos diversos, foi pronunciado o sublime desafio: “E agora por que te deténs?”

0

Evidências

26 out / 2014
Escrito por Geraldo de Tarso

            O homem estende o seu olhar para a imensidão cósmica, buscando evidências de vida no campo infinito do universo. Naves e sondas se projetam no espaço, com instrumental de alta tecnologia, capazes de avaliar a força gravitacional que equilibra e movimenta o universo, possibilitando registrar ondas, imagens, cores, sons e sinais de vida inteligente nesse espaço desafiador.

Esse conjunto de iniciativas científicas deve ser compreendido, aplaudido e incentivado por todos nós.

Entretanto, outros sinais de vida inteligente se manifestam ao nosso lado, e se apresentam em nossas vidas e em nossos sonhos. Esse conjunto de fenômenos naturais dão sinais inequívocos de racionalidade e de inteligência. Essa vida inteligente manifestada está também no espaço infinito e em nossa Terra, estão lá e estão cá, formando uma população não vista e não registrada. Mas, essa vida paralela existe.

O olhar distraído do mundo ainda não os percebeu, e ainda não estão sendo observados. Tais evidências de vida ainda não são objeto de estudos de cientistas e pesquisadores. É uma pena!…

Na França do século XIX, num trabalho grandioso e magistral, Allan Kardec coordenou a escrita de cinco livros fundamentais, que desfizeram a mística de alguns assuntos e de alguns temas, atendendo toda e qualquer interrogação, desfazendo toda e qualquer dúvida.

Observo que o homem, em geral, abre os olhos para enxergar e ver mais. Contudo, percebo que o homem exercita muito pouco a sua sensibilidade, e poderia ver mais e  melhor se não desse aos olhos a exclusividade da visão. A verdade, é que podemos ver sem os olhos. Basta admitir um outro sentido em nossas buscas.

O homem pode ver, sem ver. O homem pode enxergar sem os olhos do corpo.

A sensibilidade lhe possibilita desbravar um campo ainda desconhecido, onde a percepção permite e a compreensão dirige.

Kardec trouxe tantas evidências da vida além da morte, que me surpreende como as pessoas rejeitam tais teses, de maneira precipitada, sem ler ou estudar. Tantas evidências foram frutos da observação científica de Kardec. Recusar tantas evidências, é não querer convencer-se.

As evidências do Espiritismo estão aí, na vida de cada um. Essas evidências propiciam a certeza desses fatos, pois é o manifesto de uma verdade, são as evidências de muitas provas. Essas evidências são a certeza manifesta.

O que falta para aceitá-las em nossas vidas ? Essa interrogação se repete a cada dia em nossas consciências.

Acredito que a evolução de cada um permitirá, um dia, que acordemos mais livres dos preconceitos e mais lúcidos da razão.

A Verdade caminha sobre as evidências.

0

SEGUE-­ME TU – Caminho, Verdade e Vida – Emmanuel – Chico Xavier

19 out / 2014
Escrito por Alan Diniz

“Disse­lhe Jesus: Se eu quero que ele fique até que eu  venha, que te importa a ti? Segue­me tu.”
(JOÃO, 21: 22) 
Nas comunidades de trabalho cristão, muitas vezes observamos companheiros altamente preocupados com a tarefa conferida a outros irmãos de luta. É justo examinar, entretanto, como se elevaria o mundo se cada homem cuidasse de sua parte, nos deveres comuns, com perfeição e sinceridade. Algum de nossos amigos foi convocado para obrigações diferentes?
Confortemo­lo com a legítima compreensão. Às vezes, surge um deles, modificado ao nosso olhar. Há cooperadores que o acusam. Muitos o consideram portador de perigosas tentações. Movimentam­se comentários e julgamentos à pressa. Quem penetrará, porém, o campo das causas?
Estaríamos na elevada condição daquele que pode analisar um acontecimento, através de todos os ângulos? Talvez o que pareça queda ou defecção pode constituir novas resoluções de Jesus, relativamente à redenção do amigo que parece agora distante. O Bom Pastor permanece vigilante. Prometeu que das ovelhas que o Pai lhe confiou nenhuma se perderá. Convém, desse modo, atendermos com perfeição aos deveres que nos foram deferidos. Cada qual necessita conhecer as obrigações que lhe são próprias. Nesse padrão de conhecimento e atitude, há sempre muito trabalho nobre a realizar.
Se um irmão parece desviado aos teus olhos mortais, faze o possível por ouvir as palavras de Jesus ao pescador de Cafarnaum: “Que te importa a ti? Segue­  me tu.”

0

Revelação Espírita

19 out / 2014
Escrito por Geraldo de Tarso

            A Revelação Espírita compreende o conjunto de toda a obra organizada por Allan Kardec, que escreveu cinco livros reconhecidos como a base sólida da Doutrina Espírita.

Esse imenso conteúdo de informações reveladoras surpreende pela variedade, abordando temas da vida em seu aspecto científico, filosófico e religioso.

Para se ter um bom entendimento desse conjunto de fatos e de abordagens variadas, é necessário estudá-los com afinco por, pelo menos, um ou dois anos seguidamente, e se debruçar sobre essa doutrina sem pré-conceitos e com o desejo de compreender esses assuntos tão desafiadores.

Após tal cometimento é que poderemos optar pela negação ou pela aceitação desses princípios, desde que tais afirmações tenham sido resultadas de observações e meditações, em bases lógicas e racionais.

O Espiritismo está aberto a tais investigações, não teme o confronto científico e, muito menos, o estudo sistemático seja de quem for. O Espiritismo aguarda o seu interesse e a sua busca. Essa é a maneira mais correta de compreendê-lo em sua totalidade.

Tomar-lhe um fato isolado, mediúnico ou não, julgando-o sem essas reflexões e cuidado, é se expor ao ridículo e mostrar que não está apto a emitir essa ou aquela opinião.

Assim como ocorre com a vida acadêmica, em suas comprovações científicas, toda e qualquer opinião sobre determinado assunto deve estar embasada e sedimentada em estudos teóricos, na prática organizada e orientada e, também, nas comparações com outras opiniões de autores reconhecidos e consagrados.

Não se pode e nem se deve negar por negar, ou mesmo aceitar por aceitar. Tudo na vida deve obedecer a critérios do bom senso e da dignidade.

O Espiritismo é, sem dúvida, uma Revelação à humanidade, pois traz fatos novos e complementares da vida de cada um de nós, no formato de um grande avanço nas ideias filosóficas e científicas da atualidade.

0

PARA OS MONTES – Emmanuel – Chico Xavier – Caminho, Verdade e Vida

12 out / 2014
Escrito por Alan Diniz

“Então,  os  que  estiverem  na  Judéia,  fujam  para  os  montes.”
Jesus (MATEUS, 24: 16) 
Referindo­se aos instantes dolorosos que assinalariam a renovação
planetária, aconselhou o Mestre aos que estivessem na Judéia procurar os montes. A
advertência é profunda, porque, pelo termo “Judéia”, devemos tomar a “região
espiritual” de quantos, pelas aspirações íntimas, se aproximem do Mestre para a
suprema iluminação. E a atualidade da Terra é dos mais fortes quadros nesse gênero. Em todos
os recantos, estabelecem­se lutas e ruínas. Venenos mortíferos são inoculados pela
política inconsciente nas massas populares. A baixada está repleta de nevoeiros
tremendos. Os lugares santos permanecem cheios de trevas abomináveis. Alguns
homens caminham ao sinistro clarão de incêndios. Aduba­se o chão com sangue e
lágrimas, para a semeadura do porvir.
É chegado o instante de se retirarem os que permanecem na Judéia para os “montes” das idéias superiores. É indispensável manter­se o discípulo do bem nas
alturas espirituais, sem abandonar a cooperação elevada que o Senhor exemplificou
na Terra; que aí consolide a sua posição de colaborador fiel, invencível na paz e na
esperança, convicto de que, após a passagem dos homens da perturbação, portadores
de destroços e lágrimas, são os filhos do trabalho que semeiam a alegria, de novo, e
reconstroem o edifício da vida.

0